INTRODUÇÃO


p.18

Paralelo a isso, também foquei a literatura contrária a Igreja, buscando depreender dela o que de significativo esta apresenta em negação ao que cremos, objetivando criar uma considerável comparação entre os diversos conceitos, a fim de produzir uma acessível ponte que permita levar à explicação aonde antes existia somente a dúvida e inverdade.

O que sempre me motivou a escrever este livro foram freqüentes perguntas como: Por que existe, em alguns, um forte e gratuito antagonismo e discriminação contra a fé e a crença dos Santos dos Últimos Dias (Sud)? Por que algumas pessoas - ainda que por variadas motivações - escrevem contra a Igreja, chegando mesmo a deturpar, sem pudor algum, nossos ensinamentos e fé? Por que, se esta Igreja está tão errada, como procuram fazer crer nossos críticos, nela encontramos uma profunda e indescritível paz, segurança, amor, esperança e um firme testemunho que nos dá uma clara, extraordinária e profunda certeza sobre o Evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Como lhes explicar sobre nossa fé e testemunho em Jesus como nosso Salvador e Redentor? Como lhes fazerem entender sobre como cremos ser esta A Igreja de Jesus Cristo sem afrontá-los em suas crenças e fé?

Buscar as respostas para estas e muitas outras perguntas congêneres, apesar de ser uma tarefa sobremodo pacienciosa e exaustiva, tem fortalecido ainda mais minha fé e testemunho na sagrada obra do Senhor. Meu conhecimento e discernimento foram ricamente fortalecidos e aumentados proporcionando-me o desejo de compartilhá-los com todos.

Para este trabalho, devotei um considerável número de horas à frente do computador, em pesquisas nas escrituras e nos muitos livros das diversas autoridades e eruditos membros da Igreja. Todo este trabalho foi, sem dúvida, muito extenuante, mas também muito edificante. Nos últimos meses em que escrevi este livro, trabalhei diligentemente quase em horário integral nos finais de semana. Na semana, como trabalho durante o dia, comecei a levantar regularmente às 4:30 da madrugada e ficar até às 8:30, horário que encerrava para ir ao trabalho.

p.19/32