ENTREVISTA COM O PRESIDENTE HINCKLEY


HINCKLEY APARECE NO "LARRY KING LIVE"

O líder da Igreja SUD reitera a importância

da família tradicional

Por Peggy Fletcher Stack
The Salt Lake Tribune

2004

O Presidente da Igreja SUD, Gordon B. Hinckley, estava de bom humor na noite de domingo durante a entrevista de uma hora no "Larry King Live" da CNN, transmitido do Centro de Conferências da Igreja no centro de Salt Lake City.

Durante sua quarta aparição no programa de King, Hinckley retornou de novo na importância da família tradicional, que descreveu como a base de toda a teologia mórmon.

O líder de 94 anos, considerado um "profeta, vidente e revelador" pelos 12 milhões de membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, também provocou brincalhonamente com King, que é judeu mas casado com uma mórmon.

Quando King pediu-lhe que descrevesse o céu, Hinckley respondeu que não era "versado no assunto". Então King replicou: "Me ligue. Provavelmente chegarei lá antes de você."

King também perguntou se Hinckley compareceu a muitos funerais. "Sim", ele disse, "por todos os meus amigos que se foram."

A amplamente diversificada entrevista abordou tópicos como guerra no Iraque ("Não vejo isso como cristãos contra muçulmanos [...] Terroristas são [homens] mal orientados. Eles não representam o grande corpo dos muçulmanos."), o governador eleito Jon Huntsman Jr. ("Ele é um bom homem. Acho que será um bom governador."), a religião do Pres. Bush
("Gosto de um presidente que ora.") e suas políticas próprias.

"Voto em um homem, não em um partido", disse Hinckley, complementando que votou em ambos os lados do corredor político.

A entrevista também tocou, ainda que superficialmente, em questões críticas como homossexualidade, direitos das mulheres e o relacionamento da Igreja com os negros.

Quando perguntado sobre a oposição da Igreja ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, Hinckley disse: "Não somos anti-gay, somos pró-família". Ele disse que a Igreja tem compaixão pelos gays. "Sabemos que eles têm um problema e queremos ajudá-los a resolvê-lo", disse Hinckley, mas a Igreja SUD ainda espera que os homossexuais vivam
vidas castas como qualquer outro membro solteiro.

Respondendo a uma pergunta sobre a discriminação da Igreja contra as mulheres por excluí-las de seu sacerdócio exclusivamente masculino, Hinckley gabou-se da organização feminina Sociedade de Socorro, da fé SUD, que está entre as organizações femininas mais antigas do país.

Ele disse, no entanto, que o aumento do número de mulheres que trabalham fora de casa contribuiu para o aumento de problemas sociais como crianças deixadas sozinhas em casa para cuidarem de si mesmas e gangues..

Apesar de a Igreja não ter permitido que negros portassem o sacerdócio até 1978, hoje ela está lidando com isso "maravilhosamente bem", disse Hinckley.

Ele dedicou um dos templos da Igreja em Gana, na África, no início deste ano e espera dedicar outro na Nigéria no ano que vem. "Haverá um profeta negro algum dia?", King perguntou. "Poderá haver", respondeu Hinckley.

King também fez perguntas pessoais ao líder SUD sobre seu papel como um profeta.

"É um fardo?", perguntou King. "Claro, você se sente inadequado alguma vezes. Há problemas vexatórios. Mas tudo se resolve", respondeu Hinckley.

Ao final da entrevista, King contou à sua audiência que Hinckley o presenteou com uma genealogia da família King - completa, com papéis da imigração referentes a seus pais, mapas de suas cidades ancestrais, cópias de recortes de jornais sobre o funeral de seu pai e muitos detalhes que o âncora nunca soube.

Tradução por Marcelo Todaro
The Salt Lake Tribune

(jornal independente, em Salt lake City)
 


Deseja comentar?