ENTREVISTA COM O PRESIDENTE HINCKLEY


Esta entrevista foi ao ar no programa "60 minutos", na TV americana e com conexão com várias tvs a cabo em todo o mundo

Esta é uma transcrição feita em casa por Bob Wooley do segmento sobre a Igreja no programa "60 Minutes", emitido no dia 7 de Abril de 1996.

[Mike Wallace sozinho no estúdio, tendo como fundo uma imagem do Templo de Salt Lake City]

Mike Wallace (MW): Se acreditam, como muitos outros americanos, que este país caminha em direcção ao inferno, passem algum tempo, como nós passamos, com as pessoas que dirigem a Igreja Mormon, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Neste momento são uma das igrejas com maior crescimento no mundo inteiro, e a 7ª maior Igreja na América, e continuam a aumentar o seu ritmo. O mormon fiel não consome álcool, tabaco, cafeína, não se envolve em sexo pré ou extra conjugal. Mas não é verdade que se envolvem em poligamia? Não, já não. Aconteceu, no passado, mas abandonaram a prática quando Utah se tornou um Estado, há mais de cem anos atrás. É raro, e quase inaudito, um presidente e profeta da Igreja falar tão aberta e livremente, e tão facilmente como Gordon B. Hinckley falou hoje connosco para esta história de Domingo de Páscoa, que começa no seu início no Estado de Nova Iorque, não Utah, onde os mormons acreditam que Deus e Jesus apareceram um dia a um rapaz do campo de 14 anos.

[entrevista com G. B. Hinckley]

MW: A sua Igreja diz que Deus e Jesus falaram com o vosso fundador, Joseph Smith, em 1820, e lhes disseram para começar esta Igreja. Acredita nisso!

Gordon B. Hinckley (GBH): Sim senhor.

MW: Ele tinha 14 anos...

GBH: Sim senhor

MW: ... um rapaz do campo...

GBH: Sim senhor.

MW: ... no Estado de Nova Iorque.

GBH: Esse é o milagre.

MW (voz off; imagens dos escritórios da empresa Marriott): É de se esperar que o cabeça da Igreja acredite, mas Bill Marriott, líder da cadeia de hotéis Marriott, um duro homem de negócios, também acredita, e ele é mormon.

[entrevista com Willard Marriott (WM)]

MW: 14 anos, e Deus e Jesus vieram vê-lo? Acredita nisso?

WM: Sim, acredito. Acreditamos que a Igreja primitiva de Jesus Cristo desapareceu, e voltou através de Jesus Cristo.

MW: [voz off; imagens de Orrin Hatch, no Senado]: E o Senador americano de Utah, Orrin Hatch, um mormon, também acredita.

[entrevista com Orrin Hatch (OH)]

OH: Nós acreditamos que sabemos que isto aconteceu.

MW [voz off; imagens do filme da Igreja "A Primeira Visão"]: Eis como um filme da Igreja retrata esse acontecimento. E o que começou com Deus, Jesus, e um simples rapaz do campo [imagens da Conferência Geral] tornou-se agora uma religião mundial com mais de 9 milhões de membros. Mas, mais do que uma religião, o Mormonismo é um estilo de vida, uma ilha de moralidade, eles acreditam, num tempo de decadência moral. O Presidente Hinckley reconhece que não é fácil seguir a fé mormon. Ele chama-a a religião mais exigente da América.

[entrevista com GBH]

GBH: É exigente. E essa é uma das coisas que atrai pessoas a esta Igreja. Isso é como uma âncora, num mundo de valores em constante mudança.

MW [imagens da entrevista de GBH]: Por exemplo. Os Mormons aderem a um código de saúde muito restrito.

[entrevista de GBH]

MW: Nada de álcool, tabaco, café, chá, nem sequer de refrigerantes com cafeína...

GBH: Certo.

MW: ...comer carne com moderação, exercícios...

GBH: Certo.

MW: ...dormir o suficiente.

GBH: Certo. É maravilhoso!

MW [voz off; imagens de pessoas a chegar à igreja]: E o resultado? Os Mormons vivem vários anos a mais que a maioria dos americanos. Outra das razões para viverem mais, dizem os Mormons, é por sofrerem menos de stress, porque têm famílias fortes que os apoiam. Muitos Mormons casam cedo e têm muitos filhos. [Imagem de Steve Young] Mas Steve Young ainda é solteiro. O avançado estrela dos San Francisco 49ers é também o tetraneto de Brigham Young, um dos líderes dos primeiros Mormones. Steve, aos 34, diz que está a procurar uma companheira Mormon.

[entrevista com Steve Young (SY)]

SY: Querem falar da pressão que eu sinto? Brigham Young disse uma vez, aqui mesmo nestes terrenos, que qualquer pessoa acima dos 27 anos que não seja casado é uma ameaça para a sociedade. Por isso aqui está o meu avô a dizer para me despachar. Acham que não sinto a pressão? Garanto-vos que sinto.

MW [voz off; imagens do Campus da BYU]: Como parte da pressão e ênfase nas famílias, sexo pré marital, tal como dissemos, é proibido entre os Mormons. Bem como o adultério. Os Mormons nem assistem a filmes classificados para maiores de 18 anos. Mas estudantes da Brigham Young University insistem que possuir elevados padrões morais não os impede de se divertirem.

[entrevista em grupo com 7 estudantes não identificados da BYU]

Mulher: Nós gostamos de nos divertir, gostamos de sair, nós gostamos... nós gostamos de fazer coisas normais...

MW: Mas não comprometem os padrões.

A mesma mulher: Não. Isso não é algo que eu ache divertido. Lembro-me de um tipo, contou-me ele, que é mais "Tás a ver, ias-te divertir bem mais se bebesses, ias estar... ias-te sentir mais solta e tudo", e eu sou mais do género, "Tás a ver, eu gosto de me divertir sabendo o que faço, estando sempre com o controle de tudo, e divertir-me com a vida."

MW [voz off; imagens do Templo de Salt Lake City]: E enquanto estes jovens Mormons enaltecem o autocontrole, eles próprios são controlados a um grau elevado pela Igreja. Na realidade, aos Mormons que quebram as regras de moralidade ou saúde não é permitida a entrada nos Templos sagrados dos Mormons.

MW [em frente ao Assembly Hall, continuando como voz off, com imagens de templos e pessoas na Igreja]: Viver como Mormon devoto não é fácil. Em adição ao que não se pode fazer, há muito que é suposto fazer-se. É-se esperado que se leiam as escrituras diariamente, e que se leiam pelo menos uma noite por semana em conjunto com a família. Os estudantes assistem a cursos de religião diários. As reuniões dominicais duram três horas. Mas para além disso, as actividades da Igreja levam mais algumas horas todas as semanas.

MW [voz off; imagem de Ezra Taft Benson, depois imagens de uma entrevista em grupo]: Todas essas horas e todas essas regras são demais para alguns mormons, que se afastam. Steve Benson abandonou a Igreja para se tornar um de seus mais acirrados críticos, mesmo tendo o seu falecido avô, Ezra Taft Benson, Secretário da Agricultura do Presidente Eisenhower, sido um presidente da Igreja. Steve Benson queixa-se que ao ensinar o conformismo a Igreja cerceia o livre pensamento .

[entrevista com Steve Benson (SB) e 3 outras pessoas não identificadas]

SB: A mentalidade cultural na Igreja é de que quando o profeta tiver falado, acaba o debate.

MW: E o profeta é?

SB: Gordon B. Hinckley seria o profeta. [corte] Quando ele tiver pronunciado a posição da Igreja sobre qualquer assunto, torna-se incumbente para os membros da Igreja orar, pagar e obedecer.

[entrevista com GBH]

GBH: Bem, essa é uma afirmação inteligente do Steve, a quem conheço. [corte] Agora repare, o nosso povo tem uma liberdade tremenda, são livres de viver as suas vidas como lhes aprouver.

MW: São?

GBH: Oh, sem duvida.

MW: Realmente?

GBH: Certamente. Eles têm que fazer escolhas. É a velha e eterna batalha - as forças do mal contra as forças do bem.

MW [voz off; imagens de GBH chegando a uma capela, cheia de missionários]: Os críticos reconhecem que reconhecem uma pequena minoria de Mormons. Ainda assim, eles dizem que muitos Mormons parecem e agem como se tivessem saído de uma linha de montagem. Mas estes jovens missionários parecem assim de propósito.

GBH [dirigindo-se a rapazes e raparigas missionários]: Vocês são todos parecidos - camisas brancas, algumas um pouco amarrotadas, gravatas. Eu olho para vocês, olho para as vossas caras, e penso nas vossas idades, e sinto-me inclinado a dizer, "Bem, vocês não são grande coisa que se veja, mas são tudo o que o Senhor tem." [GBH e a congregação riem.]

MW [voz off; imagens de missionários trabalhando]: Muitos jovens Mormons deixam a universidade por 2 anos, às suas próprias custas, para serem missionários. Todos os dias 50.000 deles vão de porta em porta na América e em 150 outros países. Steve Young perdeu a sua oportunidade missionária na universidade mas...

[entrevista com SY]

SY: Eu serei um missionário nalguma aldeia remota, algum dia.

MW: Acha mesmo?

SY: Oh, sim, eu acho. Mesmo como casal. A minha meta - e isto é mais ou menos um pequeno segredo meu - mas quando eu casar, e acabar a carreira no futebol e, e, e ir ser um missionário pelo mundo fora. Lugares onde Steve Young - não que sejam muitos lugares - mas lugares onde não tenham ideia do que é o futebol [futebol americano].

MW [voz off; mais imagens de missionários trabalhando, produzidas pela Igreja]: Este filme demonstra que os missionários têm ajudado o mormonismo a alcançar o seu fenomenal crescimento. Metade dos seus membros são agora de fora dos Estados Unidos. Mas até a sua expansão para a América Latina e África, a maioria dos membros da Igreja eram brancos.

[entrevista com GBH]

MW: De 1830 a 1978, os negros não se podiam tornar sacerdotes na Igreja Mormon. Certo?

GBH: Correcto.

MW: Porquê?

GBH: Porque os líderes da Igreja interpretaram essa doutrina dessa forma, na altura. [corte]

MW: Os estatutos da Igreja diziam que os negros tinham a marca de Caim. Brigham Young disse, "Caim matou o seu irmão, e o Senhor pôs uma marca sobre ele, a qual é o nariz achatado e a pele negra."

GBH: Isso está para trás de nós agora. Olhe, isso já pertence ao passado. Não se preocupe com esses pequenos pontos da história.

MW: Os cépticos sugerem, "Bem, olhem, se nos vamos expandir, não podemos manter os negros de fora."

GBH: Pura especulação. [Risos]

MW [voz off; imagens de pessoas na Igreja]: Agora que os negros podem ser sacerdotes, o assunto actual é se as mulheres Mormons alguma vez receberão o sacerdócio.

[entrevista com GBH]

GBH: Os homens portam o sacerdócio nesta Igreja.

MW: Porquê?

GBH: Porque Deus declarou que deve ser assim. Essa foi a revelação para a Igreja. Essa foi a forma estabelecida.

MW [voz off; imagens de pessoas na Igreja]: O facto é que a maioria das mulheres Mormons não querem ser sacerdotes. Elas aceitam que os homens controlem a igreja e dominem a sociedade Mormon. E isto fez com que surgissem queixas sobre a forma como a Igreja lida com casos de abuso sexual de crianças. O abuso de crianças entre os Mormons não é certamente maior que entre os não-mormons. Mas um estudo concluiu que muitas mulheres Mormons que se dirigiram aos seus líderes religiosos em busca de ajuda acreditam que esses líderes não tiveram comiseração.

[entrevista com GBH]

MW: Os sociólogos dizem-nos que na raiz do problema está o facto de os homens, na vossa Igreja, terem autoridade sobre as mulheres, por isso os vossos clérigos tendem a simpatizar com o lado dos homens, os abusadores, em vez de com os abusados.

GBH: Essa é a opinião de uma pessoa. Eu, eu não penso que haja qualquer substância nisso. [corte] Claro, há um erro aqui, outro ali, um engano aqui, outro ali. Mas, de longe, o bem estar das mulheres e das crianças é levado em consideração tão seriamente, se não mais, quanto o dos homens, nesta Igreja.

MW [voz off; imagem da capa do novo manual para liderança sobre o abuso de crianças]: O Presidente Hinckley diz que a Igreja tem ensinado o seu clero como lidar mais efectivamente com o abuso de crianças.

[entrevista com GBH]

GBH: Estamos a trabalhar nisso muito duramente. Há casos. Há-os em todo o lado. Eles existem em todo o lado neste mundo. É uma doença, uma maleita, uma enfermidade, é uma coisa repreensível e má. Nós reconhecemo-la como tal.

MW [voz off; imagens de Jeffrey R. Holland falando para uma audiência, e GBH apertando mãos num corredor]: O clero mormon não é constituído por profissionais, eles não são pagos. O seu trabalho na Igreja é uma adição aos seus empregos regulares fora da Igreja. Seja qual for o trabalho, ser Mormon fica caro. É esperado dos Mormons que dêem dez por cento do seu salário para a Igreja. Muitos deles, incluindo Steve Young, dizem que isso não é sacrifício nenhum.

[entrevista com Steve Young]

SY: Eu realmente não o vejo como o meu dinheiro. Sabe, no que me diz respeito, é o dinheiro do Senhor, e eu estaria na realidade a roubá-lo Dele, se não o fizesse.

MW [voz off; imagens de uma capela em construção]: A Igreja, de acordo com relatórios, recebe por ano vários milhares de milhões de dólares, e nunca sofreu um grande escândalo financeiro. A maioria do dinheiro, de acordo com eles, é gasto construindo 375 capelas por ano, em todo o mundo.

[entrevista com GBH]

GBH: Estamos a estender-nos mundo fora. [corte] Não somos um povo esquisito (N.T.: estranho).

MW: Um povo esquisito?

GBH: Sim.

MW [em frente do Templo de SLC]: Os Mormons sabem que algumas pessoas de fora da Igreja os acham esquisitos. Porquê? Bem, por um lado, os Mormons devotos usam uma roupa interior sagrada para protecção contra o mal - camisolas interiores e calções tipo boxer de algodão que lhes chegam aos joelhos.

[entrevista com WM]

MW: Usa essa roupa interior sagrada?

WM: Sim, uso. E posso dizer-lhe que me protegem do mal.

MW: A sério?

WM: Uh-huh. Estive num sério acidente num barco. Fogo - o barco estava a arder, eu estava a arder. Eu fiquei queimado. As minhas calças arderam-me nas pernas. Eu não me queimei acima dos joelhos. Onde a roupa interior estava, eu não me queimei.

MW: E acredito que foi a roupa interior sagrada.

WM: Sim, acredito. Particularmente nas minhas pernas, porque as calças foram-se, mas os meus calções interiores não foram tocados.

[entrevista com SY]

MW: E acha que a sua roupa interior sagrada o protege no campo de futebol?

SY: Eu na realidade dispo-os para jogar futebol. A sua natureza sagrada, depois com o suar e tudo, eu tiro-os, e acho que isso é prevalecente com os atletas na Igreja.

MW: Realmente?

SY: Mas os meus colegas de equipa acham graça quando os visto. Eles, eles acham que têm pinta, muitos deles. E eles dizem, "Hei, onde é que compraste esses?" e eu digo-lhes sempre "Estes são muuuuito caros." [riem-se ambos]

MW [voz off; imagens aéreas de uma quinta, depois de GBH e MW caminhando à volta da Praça do Templo; depois, de Orrin Hatch]: Outra curiosidade. A Igreja possui mais de 3000 acres de terras no noroeste do Missouri, onde os Mormons acreditam que Jesus retornará na sua Segunda Vinda. Gordon B. Hinckley prefere não falar da vinda de Jesus no Missouri, ou sobre a roupa interior sagrada. Ele diz que essas questões não são a questão. Ele quer mostrar os Mormons na sua generalidade, não nos extremos. E para isso Hinckley contratou uma firma de relações públicas pertencente a Judeus. Mormons a contratar Judeus para pregar a palavra? Isto faz sentido para o Senador Hatch. Ele usa uma mezuzah no fio que tem à volta do pescoço. Uma mezuzah é normalmente colocada na entrada de um lar judeu como lembrete da sua fé.

[entrevista com OH]

É típico do povo Mormon amar todas as pessoas, mas em especial o povo judeu. Eu uso uma mezuzah para me lembrar, só para me certificar de que não voltará a haver outro holocausto, em qualquer lugar. Compreende, a Igreja Mormon é a única Igreja na história deste país a ter tido uma ordem de extermínio contra ele, feita pelo Governador Lilburn Boggs, do Missouri. Nós passamos por perseguições inenarráveis.

MW [voz off; imagens de edifícios em SLC, depois GBH cumprimentando pessoas]: Para escapar às perseguições, os Mormons dirigiram-se para Oeste, e quando alcançaram Salt Lake, o seu líder, Brigham Young, apontou e declarou esse lugar como a terra prometida. E agora, a Praça do Templo é o seu Vaticano. Em Salt Lake City, a Igreja possui uma estação de TV, uma estação de rádio, um jornal, um armazém, e muitos dos terrenos da baixa. Utah é 75% Mormon, e a Igreja poderia exercer poder político se assim o quisesse. Mas o Presidente Hinckley diz, ao contrário da direita religiosa, que a Igreja Mormon não tem uma agenda política.

[entrevista com GBH]

GBH: Nós exortamos as pessoas a exercitar o seu direito como cidadãos, mas não lhes dizemos como votar, e não dizemos ao governo como ele deve ser gerido.

[Imagens de missionários saindo de uma capela, cumprimentando GBH]

Missionário: Elder Smith, de Houston, Texas. Posso abraçá-lo?

GBH: Sim. [Um missionário alto abraça GBH, empurrando-o para trás] Cuidado, vai-me atropelar! [risos]

MW [voz off; imagens dos missionários continuam]: Gordon Hinckley diz que nunca tencionou ser presidente da Igreja, mas que um a um os outros líderes da Igreja com mais senioridade faleceram.

[entrevista com GBH]

MW: Há aqueles que dizem que isto é uma gerontocracia, que é uma Igreja dirigida por velhos.

GBH: Não é maravilhoso? Ter um homem com maturidade à cabeça, um homem de julgamento, que não é levado por cada vento de doutrina?

MW: Claro, desde que não esteja "xoné". [risos]

GBH: [risos] Obrigado pelo elogio.

MW [voz off; imagens do Templo de SLC]: Os Mormons acreditam que depois de morrerem as suas famílias serão reunidas, e que viverão juntos para sempre nos céus.

[GBH e MW conversando no átrio de uma capela, rodeado de pessoas, aparentemente missionários saídos de uma reunião]

GBH: Nós sabemos que é assim. Temos uma certeza disso.

MW: Muitos de nós não.

GBH: Sim, eu sei disso. Mas podem saber.

MW: Já pensei nisso. Mas não fui capaz de me persuadir de tal.

GBH: Não pensou durante tempo suficiente então! [Todos riem]

[FIM]


Deseja comentar?