TESTEMUNHOS


José Carlos dos Santos Coelho

 

Meu nome é José Carlos dos Santos Coelho, resido em Taubaté-SP, sou Brasileiro, tenho 20 anos de idade, solteiro e trabalho com professor de violino e regente.

Como quase  todo  Brasileiro, fui criado na Igreja Católica Romana, na  qual  fiz minha primeira comunhão e fui crismado. Até meus 11 anos  de idade  eu freqüentava a Igreja Católica com minha mãe, mas aos doze anos de idade recebi o primeiro convite para  visitar uma determinada igreja pentecostal tradicional. A Congregação Cristã no Brasil com meu vizinho. A partir de então começava uma fase de provação em minha vida que duraria cerca de aproximadamente 6 anos. Aos 14 anos de idade, fui batizado nesta igreja e aos 15 recebi o "dom" de falar em línguas estranhas e fui oficializado músico desta igreja.

Meus pais nunca foram desta denominação embora tenham ido algumas vezes aos  cultos. O início da minha conversão à verdadeira igreja de Jesus Cristo deu-se em uma bela noite.

Eu  estava procurando alguns livros antigos em casa, quando de repente encontrei um livrinho pequeno e aparentemente bem antigo. Lembro-se  de que as únicas  palavras que estavam escritas na capa eram "UM OUTRO TESTAMENTO DE JESUS CRISTO". Imediatamente eu peguei o livro e o abri, lembro me de ter lido nomes que eu nunca antes tinha ouvido falar, tais como Helamã, Mórmon, Alma, Néfi  etc. Aqueles nomes  me deixaram profundamente impressionados e não consegui parar de pensar naquele livro o resto da noite. Lembro-me  de na época ter perguntado ao meu pai sobre o livro e ele disse-me que eu tinha um tio que anteriormente pertencera à "Igreja dos Mórmons". Até essa ocasião, eu nunca tinha ouvido falar em Mórmons, sendo algo totalmente novo para mim...

Sempre  que eu tinha um tempo disponível, eu pegava o livro para ler, e a cada dia que se passava eu ia gostando mais e mais da leitura. Li sobre Joseph Smith, e quando li, lembro-me perfeitamente que pensei comigo" Então a Igreja onde estou não é a verdadeira como pregam..."

O tempo foi passando e a cada dia que se passava eu ia procurando saber mais sobre os Mórmons e sua doutrina.

Certa vez, ao conversar com meu tio sobre a Igreja, ele prestou-me seu testemunho de que a igreja é realmente a verdadeira e embora ele não estivesse mais freqüentando, ele tinha convicção disso...

Peguei algumas revistas chamadas "A Liahona" com  ele e comecei a ler e meditar muito em casa sobre aquelas coisas... Os sentimentos que eu tinha enquanto lia aquela revista eram muito fortes e algo sempre dizia em meu coração "aí é seu lugar".

Nessa  ocasião eu ainda estava freqüentando minha denominação, mas já não tinha quase nenhuma convicção de estar na igreja certa..

Passou-se um tempo, e fui chamado para dar aulas de música e, por coincidência, as aulas eram dentro de uma capela SUD.

Interessante é notar, que nesta altura dos acontecimentos, minha maior vontade era de entrar em uma capela SUD, mas como minha denominação proibia taxativamente, ficava muito difícil para mim poder realizar esse meu desejo, mas as coisas estavam acontecendo de uma maneira tão maravilhosa que pra meu "espanto" eu iria trabalhar agora dentro de uma capela SUD.

Nunca me esquecerei dos sentimentos que tive quando entrava naquela capela (GUARATINGUETÁ-SP). Eram sentimentos indescritíveis... Lembro-me de que quando eu entrava na capela, algo muito forte tocava meu coração de modo que minha vontade  era de aprender a cada dia mais sobre aquela igreja. Lembro-me de ficar parado olhando  os livros da igreja no painel, etc.

Aos poucos fui fazendo amizade com alguns membros da igreja. O interessante é que eu  via uma "luz" muito forte nos membros. Era uma santidade diferente, uma pureza, algo  que eu não conseguiria descrever. Durante minha vida como crente pentecostal eu aprendera que a santidade da mulher consiste em usar saias, e não se maquiarem, pois nesse ponto que elas se diferenciavam das mulheres do mundo, mas pela primeira vez pude comprovar que isso não era verdade por presenciar muitas moças SUD e até mesmo irmãs, que embora não seguissem todas essas tradições, realmente eram dignas de serem chamadas de santas dos últimos dias...

Nessa altura dos acontecimentos, eu já estava muito insatisfeito com a minha igreja, e já não concordava com a maioria das coisas pregadas ali, e já aceitava o livro de Mórmon como palavra de Deus.

Certa vez, fui perguntar ao ancião (igreja Congregação Cristã) sobre alguns pontos de doutrina, mas pra minha surpresa o ancião não soube tirar minhas dúvidas nem tampouco deu respostas favoráveis às minhas dúvidas. Tudo isso foi me lavando  a pensar a cada dia: "será que realmente estou no caminho certo ou será  que a igreja  verdadeira é realmente a Igreja "dos Mórmons, que deverei fazer pra saber a verdade?

Foi em uma bela manha  de  domingo, a primeira vez que fui visitar uma capela SUD na minha cidade. Logo que entrei pelo portão dos fundos, senti meu coração bater mais forte ao ouvir a SOC SOC cantando o hino "EU SEI QUE VIVE MEU SENHOR". As  palavras daquele hino entraram fortemente em meu coração de modo que soube naquela mesma hora que aquela era a Igreja verdadeira.

Outro acontecimento  bastante significativo em minha conversão foi quando comecei a ouvir as palestras missionárias. Quando os missionários terminavam de dar as palestras, ficava um espírito tão bom em casa, uma paz, um espírito de amor e tranqüilidade que confortava nossos corações.

Vários outras  coisas  aconteceram até que tomei a decisão  de ser batizado e de ser membro da Igreja. Foi uma decisão muito difícil para mim porque eu tinha sido batizado  na CCB, mas eu orei e fiquei sabendo por mim mesmo que era a vontade do SENHOR  que eu me batizasse.

Logo que saí  das águas do batismo, ouvi  os irmãos cantarem o hino "POVOS DA TERRA  VINDE ESCUTAI - EIS A RESTAURAÇÃO". Com certeza  aquela foi  a maior restauração em minha  vida...

O mais interessante foi quando souberam que eu me convertera ao "chamado mormonismo". Fui altamente discriminado pelos adeptos da CCB de modo que, se eles  acreditavam que eu estivesse equivocado, eles não deveriam ter me tratado da forma  como me trataram, e sim  ter tentado me reconquistar, coisa que nunca fizeram.

Hoje, sou pianista da ala Taubaté-1, Estaca Guaratinguetá-Brasil. Sou um Élder no sacerdócio de Melquisedeque e presto meu testemunho ao mundo da realidade da restauração do evangelho nesses últimos dias por intermédio do profeta Joseph Smith, da veracidade  do livro de Mórmon e das demais escrituras SUD, e de que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias é a verdadeira Igreja de Jesus Cristo.

José Carlos - Ala Taubaté (SP/Brasil)