TESTEMUNHOS


Alex Marcelo dos Santos

 

Gostaria de compartilhar com todas as pessoas que porventura visitarem esta página, o meu humilde testemunho de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Estou escrevendo estas coisas pois sinto a necessidade de compartilhar algumas experiências importantes que aconteceram em minha vida; pretendo com isso, trazer almas para a presença do Senhor ou simplesmente, fortalecer o testemunho daqueles que já foram agraciados com a grande dádiva de Deus, que é seu verdadeiro evangelho.

Batizei-me na igreja em 18 de julho de 1988, na pia batismal da ALA Portão, em Curitiba/PR, numa noite fria de inverno (4 graus). Eu e minha família pertencíamos a ALA 4 e por alguns problemas com a pia batismal da nossa unidade, fomos para a referida capela onde foi realizado o batismo.

Meu pai, Daniel Marcelo dos Santos, havia freqüentado outras igrejas quando menino, por influência de seus pais que eram protestantes. A medida que foi crescendo, afastou-se totalmente de qualquer tipo de culto religioso quando no ano de 1982, em Tubarão/SC, recebeu em nossa casa pela primeira vez, a visita dos Missionários de Jesus Cristo que ensinaram o verdadeiro evangelho para nossa família.

Nesse mesmo ano, apenas minha irmã mais velha, Cilene Marcelo Santos de Almeida houvera se batizado, ela tinha apenas 12 anos de idade mas sabia em seu coração que havia encontrado o caminho que a levaria de volta a presença de nosso Pai Celestial.

Minha família era composta por 5 pessoas, meu pai, minha mãe e minhas duas irmãs: Cilene a mais velha e Juliana a mais nova.Digo que a família era composta por cinco pessoas devido ao falecimento de meu pai no dia 27 de julho de 2005.

No ano de 1984, nos mudamos para Laguna/SC, uma cidade próxima de Tubarão onde residíamos,e lá não existia ainda nenhuma unidade da igreja. A partir daí, iniciou-se um período onde nenhum membro de nossa família teve mais contato com a IJCSUD. Apesar disso, os Élderes³ haviam plantado a sua semente de amor que iria germinar e em 1988 quando novamente receberíamos em nossa casa a visita dos missionários.

Nesse ano, fomos todos batizados e minha irmã mais velha reativada. Frequentamos as reuniões da igreja regularmente na ALA 4 em Curitiba/PR até o ano de 1992 quando nos mudamos para a cidade de Guarujá/SP.

Até este ponto, tenho contado um pouco da história da minha família, para que o leitor possa se situar de todas as circunstâncias que envolveram o fortalecimento do meu testemunho.

Em 1995, parti para a missão de tempo integral, fui chamado para servir na Missão Brasil Curitiba, por coincidência, o local onde havíamos nos batizado. Foi um tempo de experiências significativas em minha vida e um tempo que relembro com carinho; tenho também um sentimento que deveria ter feito melhor, lançado minha foice com mais força e ajudar com mais empenho o estabelecimento do reino de Deus na terra.

Retornei ao  lar em 1996 e por circunstâncias da vida, eu, minha irmã mais nova e minha mãe afastamo-nos da igreja.

Minha irmã e minha mãe, continuam até hoje afastadas mas oro para que elas retornem e mantenham a esperança de que se cumpram os convênios que fizemos de sermos uma família eterna.

Passo agora a contar o meu período de afastamento e os motivos que me levaram a retornar a luz do evangelho; espero que esses motivos sejam suficientes para trazer os que, como eu, se afastaram do Senhor e sirva também como fortalecimento as que nunca se afastaram e tem fé nessas verdades.

A partir de 1997, fiquei completamente afastado da igreja, não observava mais os mandamentos de Deus e não cumpria mais os convênios que houvera feito. Comecei a trabalhar e prosperar. Mesmo não guardando os mandamentos de Deus, ele me abençoou muito em minhas atividades profissionais mas eu não reconhecia a mão do Senhor. Tudo parecia ir bem e na minha cabeça apenas passava que ir a igreja não fazia mais sentido e a vida na igreja era uma vida limitada e inútil. Adorava os finais de semana para me divertir e fazer as coisas que qualquer pessoa afastada da luz do Senhor anseia em fazer.

Lembro-me certa vez que meu pai, com todo o carinho veio a mim e perguntou porque eu não estava mais indo a igreja e eu disse-lhe que não queria ir mais e era só. Sei hoje o quanto aquilo feriu o coração dele. Ele me amava muito e queria meu bem. Ele passou a sentir que não teria mais sua família terrena completa na próxima vida. Meu pai desejava, acima de tudo, que nossa família permanecesse unida para toda a eternidade; esse era o seu sonho!

No ano de 2000, pude sentir pela primeira vez a mão do Senhor ao meu lado quando sofri um grave acidente quando pilotava uma moto. Nessa ocasião, fui arremessado por cima de outro carro sofrendo inúmeras lesões. Esse acidente aconteceu por volta das 10h e eu apenas fui recobrar meus sentidos por volta das 22h.

Foi um período de muita dor física e sofrimento, o médico que me acompanhava, chegou a conclusão de que deveria ser feita uma cirurgia para a implantação de alguns pinos na face, mais precisamente nos ossos que sustentam o olho direito.

Os preparativos para essa cirurgia foram feitos, o plano de saúde já havia autorizado e o médico havia alertado que a cirurgia era de alto risco pois eu tenho problemas de saúde que me acompanham desde pequeno.

Na noite anterior a cirurgia, meu pai veio me visitar e eu pedi-lhe uma benção do sacerdócio pois sabia que esta benção me daria segurança e paz para encarar aquela dificuldade com coragem; meu paz impôs suas mãos e ungiu minha cabeça com o óleo consagrado e fez sua oração com muita fé; fé esta que levou o médico a dizer na manhã seguinte ao me analisar: "...Eu não sei o que aconteceu mas a cirurgia não precisará ser feita". Ele apalpou o meu rosto e disse com espanto que da forma como os ossos haviam cicatrizado a cirurgia não deveria ser feita. Ele tinha um Raio-x que evidenciava a necessidade da cirurgia mas depois de uma benção fervorosa do sacerdócio, fui curado pelo poder de Deus.

Esta foi a primeira vez que o Senhor mostrou sua mão ao meu lado. Devido ao meu alto grau de incredulidade voltei a afastar-me do Senhor e viver de acordo com as regras do mundo.

No ano de 2003, senti pela 2ª vez, o enorme amor que nosso Pai Celestial tem por mim.Nessa ocasião fui a um Pronto Socorro tomar uma injeção prescrita por meu médico. Aguardei o meu atendimento e fui chamado a sala de medicações. Até então eu estava tranqüilo e nem imaginava que os próximos dias seriam os piores da minha vida!

Logo após a injeção ser aplicada, comecei a sentir o meu pé direito formigar intensamente e esse formigamento foi subindo lentamente pela perna e refletir para a outra perna também. Fui colocado sobre uma maca e pouco depois iniciou-se uma dor terrível em todo o quadril. A dor era insuportável, não há como descrever ou comparar tamanho sofrimento; todos os meus movimentos e a sensibilidade da cintura para baixo haviam sido perdidos! Eu batia na minha perna e não sentia absolutamente nada! Chorando comecei a sentir que iria morrer.

Quando tudo parecia perdido, lembrei da minha condição de indignidade e o desespero tomou conta de mim! Afirmo com certeza que a dor da consciência era infinitamente superior a dor física. Nesses instantes, todos os meus pecados vieram a minha mente, tive um medo que nunca havia sentido, tive a certeza que se eu morresse ali, seria afastado da presença do Senhor e condenado para toda a eternidade. Pude sentir nesse instante o que as escrituras afirmam ser o tormento eterno. Quando tudo parecia perdido, lembrei-me da eterna misericórdia de Deus e supliquei a ele, com grande fé, que me livrasse daquela situação e eu prometi que retornaria para a igreja e seria fiel até o fim!

No exato momento em que eu terminei a oração, senti um leve formigamento na ponta do meu pé esquerdo! Como eu já não sentia nada, aquele pequeno formigamento já me encheu de esperança. Esse pequeno formigamento passou a crescer e refletir para a perna direita também! A circulação estava voltando ao normal! Eu estava sendo curado pelo poder de Deus e isso eu não posso negar. Ele me salvou pela segunda vez!

No dia seguinte, ainda internado devido a esse fato, o médico havia explicado que caso a circulação não voltasse por mais tempo, eu ficaria paraplégico e não teria mais como me locomover a não ser utilizando uma cadeira de rodas. Ele me disse que a injeção provocou um hematoma interno que comprimiu o nervo ciático e por esse motivo a circulação foi interrompida para os membros inferiores. O Poder do Senhor, por meio da minha oração de fé, havia me salvado pela segunda vez e eu reconheço que ele mais uma vez olhou pela minha alma e me deu mais uma chance de acertar a minha vida espiritual.

Fiquei por um período fazendo fisioterapia e tudo voltou ao normal inclusive a minha incredulidade pois voltei a me afastar e a não dar ouvidos aos conselhos do Senhor.

Hoje me pergunto: Como pude ser tão fraco ? Como pude negar a mão do Senhor nos momentos difíceis da minha vida ?

Fiquei afastado novamente até o mês de Junho de 2005, quando meu pai atravessava sérios problemas de saúde. Comecei a voltar para a igreja! Nessa época, eu não morava mais com minha família. Desde o episódio no pronto socorro eu já residia sozinho em outra cidade (Mongaguá/SP).

Meu pai ficou muito feliz com minha decisão de voltar para a igreja e minha irmã mais velha disse-me um pouco antes dele falecer, ele havia dito em uma reunião familiar que ele tinha uma boa notícia para dar e a notícia era: "O Alex está voltando para a igreja...".

Meu pai faleceu em 27 de julho de 2005, ele era patriarca na Estaca Guarujá-Brasil, ele era um homem de incomparável desejo de servir! Mesmo doente, sem quase conseguir andar, não perdia um domingo de reunião na igreja e esforçava-se ao máximo para magnificar o seu chamado dentro da igreja.

Dez dias antes dele falecer, eu fui visitá-los e na despedida, ele estava na frente da casa sozinho sentado em uma cadeira, ele se levantou e eu dei um abraço nele e disse: ATÉ A PRÓXIMA...

Eu não sabia que aquela frase seria a última que eu diria para ele nessa vida pois se soubesse teria dito muitas outras coisas e principalmente que eu o amava e que me esforçaria para reencontrá-lo e vivermos juntos para toda a eternidade e relembrarmos dos momentos que passamos junto na terra com alegria e "orgulho" de termos vencidos o mundo.

Ao vê-lo inerte naquele caixão que velará por seu corpo físico até o dia de sua ressurreição, tive a certeza de que ele fizera a sua parte! Tive um desejo fortalecido de voltar para a igreja e esforçar-me por fazer a vontade do Senhor.

O caminho do arrependimento é duro e difícil! Eu sabia que muito precisaria ser feito para eu voltar a ter os privilégios que tinha sendo um membro fiel da verdadeira igreja de Cristo.

Ainda estava por vir, mais uma grande demonstração de amor do nosso Pai Celestial para com a minha alma.

Certo dia, quando voltava de Guarujá para Mongaguá, onde resido atualmente, vim durante a viagem, lendo o livro "O Milagre do Perdão" escrito pelo profeta Spencer W. Kimball. Li quatro capítulos do livro e ao terminar a leitura, fui tomado de um forte sentimento de tristeza que encheu minha alma de desânimo pois achei não ser possível obter perdão para os meus pecados. Nunca havia acontecido isso comigo antes, ler alguma publicação da igreja e ficar triste! Mas a minha tristeza não era com o livro e sim com as coisas erradas que havia feito, minha alma estava triste e mais uma vez fiz uma fervorosa oração, ainda dentro do ônibus e perguntei ao Senhor: Pai Celestial, peço que me responda, de alguma forma, se o Senhor me aceita de volta para a sua igreja, dá-me a certeza de que serei aceito e de que se guardar os mandamentos até o fim serei salvo!.

Mesmo depois da oração, continuei triste e quando cheguei em casa fiz outra oração e fui dormir. Estava chegando a hora em que o Senhor iria responder minha oração de uma forma inesperada mas que não deixaria dúvidas sobre a sua vontade e essa resposta quero que fique gravada no meu coração e no coração de todos que lerem este meu testemunho pois quero dizer ao mundo que Deus vive e está atento às nossas orações.

Durante este período sempre tentava lembrar de uma escritura bíblica que diz: por mais vermelho que seja o pecado ele poderá se tornar branco como a lã; sempre tinha essa escritura na mente mas não conseguia localizá-la.

No outro dia, fui para o meu trabalho como de costume - onde trabalho, trabalha também uma outra irmã da igreja e ela responderia minha oração!

Enquanto eu desempenhava minhas atividades normais, ela veio se despedir pois já havia chegado a hora dela ir embora, então ela veio bem perto e disse: "Eu trouxe um presente para você! Eu trouxe este presente do templo!". Era uma A LIAHONA (revista de publicação mensal de a IJCSUD).

Eu agradeci a ela e nos despedimos. Notei que na primeira página da revista , ela havia marcado a caneta três escrituras; no momento não liguei para elas pois todos os membros da igreja tem o costume de anotar escrituras em mensagens, então achei aquilo normal!

Ao folhear a revista, encontrei um bilhete que iria mudar a minha vida pois sei que foi um bilhete enviado por meu pai por meio dela! Ela havia ido ao templo, estava em sintonia com o Senhor e ela trouxera a resposta exata para a minha oração! Ora, eu havia perguntado se o Senhor me aceitaria de volta em sua igreja e este é o conteúdo da carta na sua íntegra:

 

"Satanás tentará fazer com que você acredite que uma transgressão grave não pode ser superada completamente. Testifico que o salvador deu sua vida para que por meio do arrependimento, você deixe para trás os efeitos de todos os seus pecados, exceto derramar sangue inocente e negar o Espírito Santo.

(...) Se tiver a consciência perturbada com leis que tenham quebrado, eu lhes imploro: volte. Retorne às águas refrescantes da pureza pessoal. Retorne ao calor e á proteção do amor do Pai Celestial. Retorne à serenidade e à paz de consciência que advém de se viver os mandamentos de Deus.

(...) Por Favor,volte. Não espere até que tudo esteja em perfeita ordem. Caminharemos lado a lado. Nós o amamos. Retorne, por favor.

(...) Sofrer continuamente os efeitos angustiantes do pecado depois do arrependimento adequado, embora não seja intencional, é o mesmo que negar o eficácia da Expiação do Salvador em seu benefício."

Élder Richard G. Scott

A Liahona - novembro 2004 - Discursos da Conferência Geral.

"(...) - existem no original"

Ao ler esta carta, tive a certeza de que ela veio como resposta a minha oração e fiz uma oração agradecendo ao Pai por este grande presente. Tive a certeza que o Senhor me aguardava de braços abertos e que deveria trilhar o caminho do arrependimento pois ele estaria ao meu lado nessa luta.

Após algum tempo, lembrei daquelas escrituras anotadas na primeira página da Liahona e lembrei que uma daquelas escrituras era da Bíblia; nessa hora pensei: É aquela escritura que eu queria saber onde estava mas não encontrava...

Peguei a Liahona com muita ansiedade, vi qual era (Isaías 1:18) e fui correndo pegar a Bíblia para ler! Ao folhear a Bíblia eu somente pensava: É aquela escritura, É aquela escritura ... ! Quando encontrei li:

"Vinde então, e arguí-me, diz o Senhor dos Exércitos: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã."

Isso foi apenas mais um selo da veracidade da mensagem enviada.Sei que foi uma carta enviada por meu pai com a permissão de Deus e pela primeira vez pude ter uma resposta a uma oração escrita em minha mão a disposição para leitura a qualquer momento!

Um pouco após o falecimento do meu pai, enquanto minha irmã mais nova (que também está afastada da igreja), conversava com uma amiga dela no portão da casa dessa amiga, passou uma criança em uma bicicleta e atirou perto dela uns papéis; ela ficou curiosa e pegou um do chão para ver do que se tratava e eram convites para a Conferência da Estaca Guarujá que se realizaria no próximo Domingo! Eu disse a ela: Se você sair mais 1.000.000 de vezes para a rua, não acontecerá novamente de atirarem perto de você qualquer impresso da igreja !!

Pude sentir que nosso Pai falecido, estava próximo de nós, agindo das maneiras possíveis para chamar a nossa atenção e agora eu sei sem sombra de dúvidas que existe vida após a morte e que se formos valentes e perseverantes até o fim , seremos salvos junto com nossas famílias!

Espero que estas palavras que escrevi, sirvam de auxílio para alguém! Espero que toquem o coração daqueles que as lerem e possam ser todos fortalecidos.

Presto o meu testemunho de que Deus Vive, de que Jesus Cristo é o Filho Unigênito do Pai e que Joseph Smith foi um profeta chamado por Deus para restaurar o seu evangelho nesses últimos dias. Esse humilde testemunho eu selo, sob a orientação do Espírito Santo e em Nome de Jesus Cristo. Amém.

Alex Marcelo dos Santos