EVANGÉLICOS PEDEM PERDÃO AOS MÓRMONS


Um líder evangélico fala no Tabernáculo Mórmon e diz que os evangélicos disseminaram mentiras sobre as crenças da Igreja.


Novembro de 2004

Temos Pecado Contra Vocês – Por Richard Mouw

Pela primeira vez em 105 anos, não Mórmons tomaram o púlpito do Tabernáculo Mórmon, em Salt Lake City, no dia 14 de novembro de 2004. O evento denominado “Uma Noite de Amizade”, foi organizado por uma rede de 100 igrejas evangélicas chamada "Permanecendo Juntos", na tentativa de melhorar o relacionamento com os membros d´A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A histórica animosidade, entre os dois grupos, data desde a fundação da Igreja SUD e foi exacerbada nos últimos anos, particularmente na década dos 90, quando líderes evangélicos de renome declararam que os Mórmons não são cristãos e, a Igreja Batista do sul dos EUA, levou a cabo uma de suas reuniões anuais em Salt Lake City, parcialmente com a "meta de converter os Mórmons" ao protestantismo evangélico.

Ao que o jornal Deseret News referiu como comentários incrivelmente sinceros, o presidente do Seminário Teológico Fuller e colunista do “Beliefnet”, Richard Mouw, pediu perdão aos Mórmons pela tendência que os evangélicos têm de distorcer a verdade sobre a crença da Igreja SUD.

Richard Mouw é Presidente do renomado Fuller Theological Seminary, no qual também é professor de Filosofia Cristã e Ética. Ele á autor de 10 livros, entre eles "The God Who Commands", "Uncommon Decency: Christian Civility in an Uncivil World" e "Consulting the Faithful.  

Ricahrd Mouw declarou: “Permitam-me falar claramente, nós evangélicos pecamos contra vocês.” O discurso está dando o que falar entre os grupos evangélicos e Mórmons que, em geral, estão surpresos e agradecidos. Nós repetimos as declarações abaixo.

"Me é difícil encontrar palavras adequadas para expressar o quão emocionado estou por estar aqui nesta noite. Aqui estamos, Protestantes evangélicos e membros d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, reunidos neste Tabernáculo do Lago Salgado para um evento descrito como, “Uma Noite de Amizade.”

Não estou sendo melodramático quando digo que esta é uma ocasião histórica. Para ser mais exato, temos desenvolvido longas amizades entre alguns evangélicos e alguns SUD mas, isto não tem sido veiculado publicamente. As relações públicas entre nossas duas comunidades têm sido, colocando numa maneira mais amena, decididamente não amigável.

Desde o princípio, quando Joseph Smith organizou a Igreja em 1830, meus precursores evangélicos levantaram rudes acusações e veementes denúncias contra a comunidade Mórmon; uma prática que continua desde as sedes evangélicas ainda na atualidade. Creio ser justo dizer que os Mórmons, em certas ocasiões, responderam da mesma forma. Amizade não veio com facilidade para nossas duas comunidades.

Recentemente algumas coisas começaram a mudar, evangélicos e Mórmons trabalharam juntos no importante tema da moralidade pública. Aqui em Utah, o ministério "Permanecendo Juntos" tem tomado riscos consideráveis no desejo de combater os mais agressivos e problemáticos ataques evangélicos contra a Igreja SUD. Os concorridos diálogos do Pastor Greg Johnson com o professor universitário, Bob Millet, tem alcançado muito ao moldar um novo espírito de franco, mas amigável, intercambio no tocante a tópicos relacionados à fé. Agora nesta noite, estamos experimentando a grata hospitalidade da liderança SUD que nos convidou a todos para este lugar de reuniões que tem ocupado, e continua a ocupar, um papel importante na vida da comunidade Mórmon.

Nos últimos 12 anos tenho, pessoalmente, participado como membro de um pequeno grupo de estudiosos evangélicos engajados em longos debates, a portas fechadas, discutindo sobre matérias espirituais e teológicas com um pequeno grupo de membros SUD. Não temos tido nenhum receio ao discutir, com vigor, uns com os outros, mas nossas discussões têm sido conduzidas com o desejo genuíno e sincero de entendimento mutuo e, neste processo, profundos laços de amizade foram estabelecidos.

Sei que tenho aprendido muito neste diálogo contínuo e agora estou convencido de que, nós evangélicos, temos com freqüência, mal interpretado as crenças e práticas da comunidade Mórmon. Definitivamente, permitam-me dizer abertamente aos indivíduos SUD que se encontram aqui nesta noite: Nós temos pecado contra vocês. O Deus das Escrituras é claro ao expressar que prestar falso testemunho, contra nossos vizinhos, é um ato terrível e nós temos sido culpados deste tipo de transgressão com respeito a coisas que temos dito sobre vocês. Temos dito o que vocês acreditam sem, primeiramente, fazer um sincero esforço de lhes perguntar o que acreditam.

Temos nos empenhado muito em fazer com que vocês apresentem uma forte defesa das convicções cristãs tradicionais, freqüentemente citando a diretiva do Apóstolo Pedro que apresentamos a pessoas como vocês, “a razão da esperança que há em vós”; mas, não temos sido cuidadosos ao seguir o mesmo conselho do Apóstolo, que imediatamente segue aquele conselho, quando nos diz que nós devemos “estar sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir”. (N.T. 1Pe 3:15). De fato, em certas ocasiões, até os tomamos como demônios, tecendo teorias de conspiração com respeito a que a comunidade SUD está “realmente” tentando realizar no mundo. E temos feito, o melhor que podemos, (e isto é verdade em ambas comunidades) para ignorar-nos mutuamente, estabelecendo explicações, superficiais e distorcidas, sobre o que o outro grupo acredita.

Formei algumas amizades maravilhosas com Mórmons nestes últimos anos. Estes amigos me ajudaram a ver as maneiras em que eu, freqüentemente, mal interpretava o pensamento Mórmon. Em realidade, como resultado daqueles intercâmbios, permaneci convencido de que existem tópicos de divergência reais entre nós e, algumas dessas questões são matéria de significado eterno. Mas podemos agora discutir esses tópicos como amigos, e nesta noite um número maior de nossos amigos se congregaram neste lugar para uma pública “Noite de Amizade” em grande escala. Deus seja louvado!

Somente daqui a um mês e meio, daremos as boas vindas ao ano 2005 que marca o ducentésimo aniversário do nascimento de Joseph Smith. Durante este ano existirão muitas ocasiões para dar uma atenção especial à vida de Joseph e seus ensinamentos, e, espero que muitas comunidades evangélicas tomem parte naqueles eventos. Mas esta noite não estamos aqui para falar sobre Joseph Smith, mas sobre Aquele cujo nascimento celebraremos novamente, um pouco antes do bicentenário do ano em que Joseph apareceu. Este é Aquele cujo nascimento cantamos em palavras, devo acrescentar, que muitos de nós gostamos de ouvir daquele grande coro que entoa estas palavras neste Tebernáculo, “as esperanças e temores de todos estes anos se cumprem em Ti nesta noite.” (N.T. este é o final da primeira estrofe do hino Pequena Vila de Belém, em Inglês)

Que evento maravilhoso é este em que podemos nos reunir para falar sobre o Senhor Jesus Cristo e sobre quem ele é e o que fez por nós. Existe muito o que falar aqui. Eu, pessoalmente, sou tomado de grande animo com as palavras que Joseph Smith pronunciou na ocasião da fundação d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em abril de 1830: “Sabemos, que todos o homens devem arrepender e acreditar no nome de Jesus Cristo, adorar ao Pai em seu nome, e perseverar em fé no seu nome até o fim, caso contrário não poderão ser salvos no reino de Deus.” E então ele acrescentou: “E sabemos que a justificação através da graça de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é justa e verdadeira, e também sabemos que a santificação através da graça de nosso Senhor Jesus Cristo é justa e verdadeira, a todos os que amam e servem Deus com todo seu poder, mente e força.”

É neste espírito que estendo minha saudação a vocês nesta noite; como alguém que anseia mais que qualquer outra coisa, amar e servir a Deus, com todo seu poder, mente e força; através do poder disponível pela maravilhosa graça que enviou o Senhor Jesus Cristo à manjedoura em Belém, e para o Jardim do Getsêmani, e para a Cruz do Calvário, onde ele derramou seu sangue para pagar a dívida de nosso pecado; um débito que jamais poderíamos pagar por nós mesmos.

Este é o espírito pelo qual Ravi Zacharias nos falará esta noite; espírito de devoção à Aquele cujo nome está acima de qualquer outro nome, Aquele que é o único que nos pode salvar, perante o qual, um dia, todo o joelho se dobrará e toda língua confessará que ele é o Senhor para a glória do Pai. Possa esta maravilhosa “Noite de Amizade” nos dirigir para aquele grande dia.

Obrigado e que Deus os abençoe.

Ravi Zacharias, renomado filósofo cristão discursa no Tabernáculo Mórmon, em Salt Lake City, no evento chamado  "Permanecendo Juntos".

Foto por Jason Olson, Deseret Morning News

Tradução: Oswaldo Bueno de Moura


Deseja comentar?