E ACONTECEU QUÊ


Excertos do livro ”Exploring the Lands of the Book of Mormon”

(Explorando as Terras do Livro de Mórmon) de Joseph Allen


Traduzido por Elson Ferreira

Curitiba/Brasil

A frase “E aconteceu que...” ocorre na tradução em inglês do Livro de Mórmon, 1.381 vezes. Somamos a isso, formas derivadas desta frase, tais como “Então aconteceu...”, “Pois eis que aconteceu...”,”Mas eis que aconteceu...”, e “E acontecerá...” o que soma mais de 1.500 vezes.

 Esta frase não é exclusiva do Livro de Mórmon. Ela ocorre 526 vezes no Velho Testamento e 87 vezes no Novo Testamento. Este fato sugere que a frase “E aconteceu que...” é de origem hebraica e correlaciona a declaração de Néfi: “Sim, faço um registro na língua de meu pai, que consiste no conhecimento dos judeus e na língua dos egípcios”. (1 Néfi 1:2)

O povo Maia, que viveu no sul do México e Guatemala, pode ter adotado a frase “e aconteceu“ Glifos encontrados em ruínas Maias de Palenque datados do Século VII depois de Cristo manifestam a frase “e então aconteceu” e “e aconteceu”. Outro glifo foi interpretado como “e acontecerá”.

No Livro de Mórmon, o padrão é consistente com os propósitos gramaticais e literários dos glifos Maias. Portanto, podemos especular que o registro do qual O Livro de Mórmon foi traduzido manifestou a frase, ou o glifo, similar ao que é registrado nos hieróglifos Maias. Além disso, sabemos que os Maias não foram os inventores da escrita na Mesoamérica. Eles simplesmente a adotaram de cultura anterior ao período entre 600 a.C e 50 AD.

O grande estudioso Maia, Eric Thompson, escreveu: “A América Central é a única parte do Novo Mundo no qual um sistema de escrita embrionária foi desenvolvida.” (Thompson 1966:189)

Este sistema de escrita foi desenvolvido durante o período Pré-clássico (600 a.C- 200 AD— o período de tempo que corresponde diretamente como o período do Livro de Mórmon.

Copyright © 1999-2002 Ancient America Foundation


Deseja comentar?