O BATISMO PELOS MORTOS

 


Capítulo 23

 

----- Original Message -----
From: irineu
To: defesadafe@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, December 23, 2002 6:54 PM
Subject: [Apologética Aplicada] Batismo pelos mortos

Pastor Airton,
 
Desculpe-me, mas o senhor não entendeu completamente a referência que fiz ao fato de alguns membros sonharem com seus entes falecidos e entenderem também como uma manifestação da necessidade destes serem batizados.
 
Reenfatizo, ao realizarmos o batismo em favor dos mortos, não sabemos quem aceitará ou não, da mesma forma que um pregador sai a pregar sem saber quem daqueles que o ouvirem aceitaram sua palavra ou não. Aqueles que porventura aceiteram, crerão e serão batizados, caso contrário a pregação não terá validade nenhuma.
 
É apenas isso que estou a comunicar. Isto é simples e de fácil entendimento. O que passar disso será apenas especulação.
 
Fraternalmente,
 
Irineu

 

---- Original Message -----

From: irineu
To: defesadafe@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, December 23, 2002 7:37 PM
Subject: [Apologética Aplicada] Perguntas sobre O Batismo

Prezado Pastor Airton,

 
Já trocamos bastante mensagens a respeito do batismo e do batismo pelos mortos.
 
Dei, reenfatizei, justifiquei minhas crenças sobre esse assunto e, agora, gostaria por gentileza, para que eu também possa entender diretamente seu ponto de vista que o sr. respondesse as perguntas abaixo, ok?
 
O objetivo dessas não é gerar um debate sem-fim, mas deixar claro nossos pontos de vistas e as justificativas para tal. Se vamos crer ou não é um assunto que julgo de foro íntimo de cada um com nosso amado Pai Celestial.
 
Obrigado por sua gentileza para tal.
 
1 - Como o sr. entende a clara ordem de Cristo de que somente serão salvos aqueles que crerem e forem batizados? Por gentileza, comente especificamente sobre as palavras do Salvador nesse contexto?
 
2 - Se se bastasse crer em Jesus, sem a necessidade do batismo, por que os apóstolos teriam um trabalho enorme em batizar quase 3000 pessoas?
Não seria muito mais fácil manda-los de volta para casa já que todos tinham crido? Mas, ao invés disso preferiram cumprir com a ordem de Cristo que expressa e diretamente já os tinha dito que aqueles que cressem deveriam ser batizados.
Como o sr. explica isso, repito A LUZ DAS PALAVRAS DE JESUS: "Aquele que crer e for batizado será salvo?
 
3 - Por que as palavras de Paulo são tão usadas para defender a crença de que basta aceitar Cristo e será salvo, se o próprio Paulo teve que ser batizado?
 
4 - Por que Jesus - conforme Pedro ensinou - visitou o mundo espiritual? Por que isso foi necessário?
 
5 - Por que o ladrão arrependido não foi para o Céu, conforme já detalhei anteriormente?
 
Em seguida após as suas respostas, gostaria de abordar um outro assunto que imagino o sr. bem conhece e crêr, que é o dom de línguas. Ok?
 
Fraternalmente,
 
Irineu
 
PS. Em uma troca anterior de msgs, perguntei-lhe:
- Eu escrevi tanto sobre esse tema que não sei exatamente aonde escrevi isso que o senhor disse que eu citei: "somente dos mortos que em vida creram em Jesus. Poderia, por gentileza, me dizer em qual texto eu escrevi isso para que eu possa perceber o contexto disto?
 
Ao que o sr. me respondeu:
 
AIRTON - Continuarei procurando nas muitas mensagens arquivadas...
 
Pergunto outra vez: O sr. já encontrou essa afirmação que eu teria dito? Se sim, por gentileza, diga-me para que eu possa perceber o contexto e assim não deixar dúvidas sobre. Obrigado.
 
 
----- Original Message -----
From: Fórum Evangelho
To: defesadafe@yahoogrupos.com.br
Sent: Tuesday, December 24, 2002 1:47 PM
Subject: Re: [Apologética Aplicada] Batismo Pelos Mortos - Pastor Airton

Irineu,
 
Gostaria de fazer uma breve observação no seguinte trecho de seu e-mail.
 
Você citou 1Pe 4.6 com a seguinte tradução:
 
- Pois é por isto que foi pregado o evangelho até aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens na carne, mas vivessem segundo Deus em espírito”. ( I Pedro 4:6)
 
Qual versão da sua Bíblia? Tanto a RC quanto à RA não tem o termo "até" na expressão "até aos mortos".
 
E quanto a essa expressão citou uma nota extraída de uma Bíblia de estudos:
 
"Aos mortos": esta expressão de ser entendida como uma alusão aos que ouviram o evangelho enquanto viviam na terra, porém agora mortos, quando Pedro escreveu.
 
O versiculo [de 1Pe 4.6] pode ser parafraseado assim: "o evangelho foi pregado àqueles que creram e posteriormente morreram, a fim de que tivessem a vida eterna com Deus".
 
Agora citou o mesmo versículo, comparando com a sua tradução. É da R.Corrigida:
 
"porque, por isto, foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens, na carne, mas vivessem segundo Deus, em espírito." (1Pe 4.6 - RC)
 
A versão Linguagem de hoje é mais clara, veja:
 
"Pois o evangelho foi anunciado também aos mortos, os quais morreram por causa do julgamento de Deus, como morrem todos os seres humanos. O evangelho foi anunciado a eles a fim de que eles pudessem viver a vida espiritual como Deus quer que eles vivam." (BLH)

Sem mais pelo momento.

Norberto
 
 

----- Original Message -----

From: irineu
To: defesadafe@yahoogrupos.com.br
Sent: Tuesday, December 24, 2002 8:33 PM
Subject: [Apologética Aplicada] Evangelho Pregado aos Mortos

 
Prezado Norberto e por extensão Pastor Airton (já que estamos focando o mesmo assunto),
 
Eu tenho em minha biblioteca e no micro algumas Bíblias que traduzem de forma diferentes uma mesma escritura.
 
Isso inegavelmente é um problema, pois dependendo do assunto em lide, isso pode produzir diferentes interpretações doutrinárias.
 
A que citei, entretanto, foi retirada ao ermo de uma tradução que possuo no micro chamada Biblia Sagrada Colaboração Thélos, que estava mais a mão.
 
Mas, mesmo assim, o fato que estou a destacar é que Cristo foi e pregou aos mortos no mundo espiritual e, isso independente das variadas traduções bíblicas existentes corroboram entre is em sua esmagadora maioria.
 
Para mostrar a imparcialidade desse assunto, cito o comentário da famosa obra de Russel Norman Champlin, Ph. D. "O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo", obra conceituadíssima entre os evangélicos.
 
Observe os pontos abaixo retirados dessa obra:
 
- Porém, em nossa passagem (I Pedro 4:6), como também em I Pedro 3: 19-20, Pedro, por iluminação divina, afirma claramente que os caminhos da salvação de Deus não terminam juntamente com a vida terrena, e que é o evangelho pregado além do sepulcro, no caso daqueles que partiram desta vida sem ter o conhecimento do mesmo.
 

- João Damasceno, em seu livro "Fonte do Conhecimento"(inicio do século VIII DC.), no qual faz um estudo sistemático da teologia da igreja primitiva, assevera que todos os pais gregos e todos os primeiros concílios eclesiásticos defendiam o ponto de vista que a descida de Cristo ao hades produziu resultados benéficos. Quase todos os intérpretes concordam que a menção aos mortos, neste ponto, relembra a descida de Cristo, que tem sido descrita ultimamente. Basta menos de um minuto para ler de 1 Ped. 3:18 a 4:6, pelo que o tema ainda estava bem fresco na mente de Pedro.

 

- Alguns, entretanto, não se satisfazem com essa interpretação, com bases dogmáticas a priori, por terem aceito o conceito que é impossível qualquer bem aos perdidos, uma vez que eles morram. Apesar dessa idéia ser popular no meio evangélico de hoje, continua sendo a voz da minoria. Mas, a fim de evitar a clara inferência de trechos como 1 Ped. 3:18-20 e 4:6, vários estudiosos têm inventado explicações como a que diz que Cristo pregou, por seu Espírito, na pessoa de Noé, durante a vida terrena daqueles que agora se acham na prisão. Portanto, eles estão mortos agora, mas estavam vivos quando ouviram a prédica de Noé. Alford (in loc.) diz que se pudermos interpretar desse modo o grego original das duas passagens referidas, então podemos fazer o N.T. dizer o que bem quisermos.

 

Os mortos foram evangelizados. Isso define a pregação aludida em 1 Ped. 3:19. Cristo pregou o evangelho aos mortos. Alguns dos primeiros pais da igreja pensavam que o ato de pregar, em 1 Ped. 3:19, se aplica somente a Cristo, ao passo que o pregar o evangelho se aplica ao ministério subseqüente dos apóstolos, no hades. Seja como for, “.. .o evangelho também foi pregado a eles, com o propósito de dar-lhes o meio de se livrarem da ira de Deus” (Steiger, in loc.). Assim também opina Bigg (in loc.): "A idéia parece ser que Deus não julgará cada homem até que, finalmente, a verdade inteira lhe tenha sido revelada. Se essa interpretação é correta, então a "pregação" é a mesma referida em 1 Ped. 3:19, embora a audiência, neste ponto, inclua todos aqueles que morreram antes da descida de Cristo ao hades, ocupado por santos ou pecadores.

 
- O sentido simples é, aqueles que estavam mortos quando o evangelho lhes foi pregado, ou seja, eram espíritos humanos desencorporados. E isso concorda com o que diz Bigg (in mc.): "Os mortos devem ser reputados de acordo com o sentido óbvio da palavra: estavam mortos quando o anúncio lhes foi feito".
 
Portanto, Norberto, não é uma doutrina apenas advogada pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mas corroborada por estudiosos evangélicos que percebem a clareza da ida de Cristo ao mundo espiritual, no qual, o evangelho, as boas novas do Cordeiro de Deus, foi pregada para aqueles que não tiveram a oportunidade de tê-la em vida.
 
Fraternalmente,
 
Irineu
 

Cap. 24