O CASAMENTO É ETERNO

Cremos Que o Casamento Não Se Desfaz Pela Morte

 I.B. Irineu

Alguns usam a escritura: "Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu"(Mat. 23:30) para não crer na eternidade do casamento. Mas será que foi isso que Cristo e seus apóstolos ensinaram acerca dessa ordenança sagrada?

Cristo sempre respondeu às pessoas de acordo com o conhecimento que percebia nelas. Por exemplo, usava parábolas para ensinar ao fazendeiro, ao pastor e ao lavrador em comum. Quando Cristo foi confrontado pelos saduceus, o versículo 23 mostra que naquela ocasião, os que o interrogavam, não criam na ressurreição. Portanto, Cristo tinha um opositor diante dele, fazendo pergunta sobre coisas que não acreditava, tentando confundir ao Senhor.

 
Cristo viu naquela circunstância uma oportunidade para ensinar. O saduceu fundamentou-se na lei judaica (Lei do Levirato) que mandava que a mulher de um falecido e que não lhe tivesse dado um filho, deveria coabitar com um irmão do falecido para levantar-lhe uma descendência. No caso particular armado pelo saduceu, os irmãos do morto foram morrendo sucessivamente sem dar descendência ao primeiro marido, a mulher foi casando também sucessivamente com cada um deles, ate que morreu o sétimo e último, e ela também morreu.
 
A pergunta era: De qual dos sete seria a mulher na ressurreição. Cristo respondeu de acordo com o entendimento que o opositor demonstrava ter. Ele respondeu especificamente a pergunta, isto é: "na ressurreição nem se casam nem são dados em casamento". Isso significa que depois de havermos ressurgido não mais nos podemos casar, nem ser dados em casamento, mas não no cessamento dos vínculos familiares que aqui formamos ao longo de toda a nossa vida.
 
Entendo que o casamento não pode ser somente para essa vida, mas acredito que para toda a eternidade. Não posso crer que uma vida construída a dois por muitos anos, as vezes, 40, 50, 60 anos de muitas alegrias, sofrimentos, vitórias, derrotas, fortes emoções pelas mais variadas experiências vividas, pode simplesmente acabar com a frase: até que a morte os separe. 
 
Além do mais o primeiro casamento foi realizado pessoalmente por Deus, no Éden, quando sequer o pecado houvera ainda chegado a essa Terra, evidenciando ser uma ordenança sagrada por ser realizada pelo Senhor naquelas circunstâncias.
 
Cristo mesmo disse: "O que ligares na terra será ligado no céu". Em Mateus 19:4-6, vemos que essa mesma questão foi apresentada por um fariseu, o qual acreditava na ressurreição. A ele o Senhor  deu outra resposta: "O que Deus juntou,
será para sempre". nisso, os fariseus o compreenderam, pois criam na ressurreição. É por isso que em 1 Coríntios 11:11 lemos: "Nem o varão é (completo) sem a mulher, nem a mulher é (completa) sem o varão diante (na presença) do Senhor". É por isso que em Pedro 3:7, ele afirmou ao povo que o homem e a mulher serão co-herdeiros da graça da vida.
 
Portanto Cristo respondeu aos saduceus, de acordo com seu pouco conhecimento e incredulidade. Se nós cremos na ressurreição, não podemos interpretar essas escrituras com o pouco conhecimento e a incredulidade dos saduceus. É por isso que a resposta de Cristo a eles é até hoje mal compreendida.
 
Efésios 3:15 fala de famílias tanto no céu como na Terra, o que parece-nos afirmar sobrer a continuação dos vínculos familiares, semelhantes ao terrenos, no céu!
 

Por I.B. IRINEU

Deseja comentar?